17.11.08

EAT MY THEORY

miguel hat gesagt...
'o rogerio...diz-me lá porque é que os cookers optam sempre pelo mesmo aspecto gráfico dos pratos: o centro em monte e os círculos pingados de natas, choco ou whatever? arre potter qué demais...

November 07, 2008 8:05 PM

Löschen

Blogger Rogério Nuno Costa hat gesagt...
...por partes:

1. essa disposição do prato (ou "empratamento" para sermos mais exactos) não se prende especificamente com questões "gráficas", mais ou menos "estetizantes", mas sim com a organização dos diversos elementos do prato no prato, ou seja:

2. seguindo a lógica (essa sim, da "moda") de que todos os elementos do prato devem ser visíveis e reconhecíveis (mesmo quando não sabes o que é, sabes pelo menos que existem o elemento A, o B e o C, por exemplo), então é natural que eles se encontrem separados no prato, e não envolvidos, ou escondidos... assim sendo:

3. elementos mais líquidos costumam ser espalhados pelo prato (de outra forma não seriam vistos) e os mais sólidos são colocados no centro do prato (porquê? vai estudar as teorias da percepção visual...). tudo isto porque:

4. a cozinha contemporânea, seguindo de certa forma a tendência geral na arte e na ciência, alicerça-se num qualquer tipo de "performatividade gastronómica", permitindo ao espectador/degustante aceder ao prato de forma implicada e criativa, o que só é possível se te for possível reconheceres os elementos em jogo. por exemplo: aplicas nos elementos sólidos os elementos líquidos que entenderes, na quantidade que entenderes. não é só para te fazer bem à retina (e a seguir às papilas gustativas); é para te implicar politicamente, através da escolha. em resumo:

5. montinhos no centro e natas à volta é mais ético que estético. ou pelo menos é assim que eu quero ver a coisa...

November 14, 2008 6:07 PM