30.3.09

RØCIPES

Tarte de maçãs & mascarpone
em base de pão de erva doce



...estou extasiado com o resultado desta invenção, que é já a melhor de 2009 so far! O segredo disto está obviamente na massa. Lamento, mas não serei capaz de reproduzir exactamente as quantidades, porque nisto das massas e das bases eu sempre fui muito a favor do olhómetro. Seja como for, é experimentar abrir um buraquinho num monte de farinha fermentada com uma pitada de sal, colocar lá dentro um ovo e manteiga derretida em leite fervente e misturar à manápula, cagando as mãos, cagando a mesa de trabalho, cagando o chão da cozinha, cagando o avental, assim atingindo um nível incomensurável de felicidade domingueira. Juntar a seguir uma colher de sopa cheia (aqui lembro-me!) de erva doce em pó e a raspa de um limão. Envolver bem, cobrir a massa com um pano de cozinha e pô-la a descansar. Entretanto, descasco e descaroço as maçãs que a minha mãe trouxe de Amares (verdes, caseiras, minúsculas, feias com'á noite!) e corto-as em cubos. Sim, em cubos!, estou farto dessas tartelettes franciús com tudo laminado até ao desespero e a saber a açúcar baunilhado... Espremo um limão para cima das maçãs, para não oxidarem, e reservo. Noutro recipiente: bato uma embalagem inteira de mascarpone com 1 dl de natas, juntando depois 1 ovo batido e umas colheradas de icing sugar. Reservo. Dou com o rolo da massa em cima da mesma, mas sem me importar muito com a forma ou com a espessura; a ideia é que o resultado seja assim brega-rough, como podem vislumbrar na foto acima. Atiro com a coisa para dentro da tarteira, aperto-a de encontro ao fundo, e verto a mistura de mascarpone lá para dentro. Finalizo com os cubos de maçã, que atiro para cima do mascarpone "como se" tivesse sido o acaso (consultar o "Dogma 2005", se isto vos estiver a dar nervos...). Polvilho tudo com açúcar granulado e uma pitada de canela e levo imediatamente ao forno. Quando os limites da base estiverem assim gordalhufos, feios comó raio e a ameaçar entrar pelas maçãs adentro, é porque está pronto. Deixar esfriar, retirar da tarteira e comer.

E agora o nojo: ENOUGH TARTES DE MAÇÃ C/ BOLA MIXURUCA DE GELADO DE NATA AO LADO!!! Já não há pachorra para a trend presente em tudo quanto é café hipster da Baixa-Chiado que serve qualquer tipologia de bolo com gelado de nata, muito açúcar pilé a cobrir o pratinho preto do IKEA e uma folha redícula de hortelã assim de ladecos... Pá, inventem outras cenas! -.-