1.2.11

RØCIPES

Padrão Chocolate
[an improvisation session with Micaela Maia]

Em jeito de reenactement do que havia acontecido um ano e meio antes naquela mesma casa, quando lá realizei o "LADO C" no contexto do LUPA Festival, a Micaela decidiu comprar os ingredientes para o nosso jantar sem o meu conhecimento; com eles, tive que criar uma entrada, um prato e uma sobremesa, sendo que o chocolate (regra número um!) não poderia ser usado na sobremesa. Foi assim que inventei esta entrada-alegra-boca na qual nem eu próprio (que como toda a merda que existe só porque é antropologicamente fixe) acreditei que fosse possível resultar. A sequência de imagens seguinte explica tudo:



Mas eu posso explicar melhor:
Salei muito bem os pimentos padrón com sal grosso, com a ajuda das mãos. Salteei-os depois numa quantidade muito contida de azeite, sacudindo a frigideira muito bem e várias vezes durante a confecção. Quando os pimentos devidamente chamuscados, retirei-os e reservei. Em banho-maria, derreti uma tablete de chocolate negro com duas colheres de sopa de manteiga sem sal. No momento final do derretimento, adicionei uma colher de chá de canela em pó e outra de café de molho picante. Mexi muito bem, retirei do banho-maria e reservei. Coloquei na mesa os dois ingredientes, fumegantes, e esperei que a comensal tomasse o primeiro impulso de os casar. E não é que foram felizes para sempre?

©Chef Rø com Micaela Maia
2010