21.9.11

CHEF RÓ NA GRALHEIRA

A 3.ª temporada
No Festival Magaio Voicescapes

Uma produção BINAURAL

Residência artística: 18 a 30 de Setembro de 2011
Apresentação pública (Retiro da Fraguinha, Candal): 1 e 2 de Outubro de 2011



A convite da Binaural (Nodar), o projecto "Vou À Tua Mesa" instalar-se-á nas freguesias de Candal e Manhouce (concelho de S. Pedro do Sul) para a produção da terceira temporada do seu cooking show. Os resultados serão apresentados no Festival Magaio Voicescapes nos dias 1 e 2 de Outubro, após uma residência artística na qual participam os artistas Patrícia Azevedo (Brasil) & Clare Charnley (Inglaterra), Josef Sprinzak(Israel), Carmina Escobar (México), Toine Horvers (Holanda) & Myriam Van Imschoot (Bélgica) e Rogério Nuno Costa (Portugal). Para acompanhar o diário fotográfico:

www.facebook.com/cheff.roo



Texto programático [Binaural]:

Na região rural Portuguesa do maciço da Gralheira (Concelho de S. Pedro do Sul), composta por comunidades de montanha em que agricultura e pastorícia de subsistência eram as actividades dominantes, locais onde a electricidade e consequentemente a televisão chegaram há apenas cerca de 30 anos, todo o conhecimento e comunicação tinha como meio a voz humana. Esse facto por si só é suficiente para conferir uma riqueza densa a todo o discurso oral… a idiossincrasia, o desconcertante, o subliminar, os sotaques, aspectos que vão sendo cada vez mais estandardizados. O programa de residências artísticas Magaio Voicescapes propõe colocar em diálogo todas as formas de património oral rural e formas artísticas contemporâneas centradas na voz (arte sonora, performance, poesia sonora, etc.) que trabalhem aspectos como a origem, o significado, as relações do sagrado (reconduzido ao seu significado e simbolismo ancestral de mistério e símbolo), a voz como elemento na base de rituais, costumes e superstições, capaz de encantar o ouvinte e de trazer mudanças profundas no real, nas comunidades e no território, a voz como protagonista de memórias, mitos, arquétipos, sabedoria popular transmitida ao longo dos séculos, ou ainda a voz quotidiana, ferramenta de trabalho e vida.